A VEZ DO OMNICHANNEL: AFINAL, POR ONDE COMEÇAR?

A VEZ DO OMNICHANNEL: AFINAL, POR ONDE COMEÇAR?

Boa pergunta. Por onde começar? Mesmo para as empresas que já estejam com presença na internet, na maioria das vezes os resultados não são tão satisfatórios, exigindo repensar as estratégias.

Eis aí que surge o conceito Omnichannel, que é na realidade, uma abordagem multicanal, ou seja, as estratégias de posicionamento e vendas devem considerar as mais diversas plataformas, incluindo, ou principalmente, as digitais. Dizemos isso pois as empresas que possuem espaço físico, devem integrar a loja à experiência digital. Nesse sentido, o espaço físico também é considerado um canal de vendas, o principal deles, em muitos casos.

Mas como esse conceito ganhou evidência na realidade de transformação digital que vivemos, teremos que falar de novas demandas, principalmente à necessidade das empresas fazerem a gestão da sua marca associadas às ofertas que devem estar disponibilizadas nos canais digitais. Vamos imaginar que os clientes vão interagir e fazer o pedido e a compra usando o smartphone. Pronto, eis aí uma informação muito relevante. Além do canal, sabemos que a experiência do cliente também envolve o dispositivo móvel.

Simples assim. Não, engano. A busca da simplicidade é o grande segredo, mas para chegar no momento mágico da compra digital, existe um caminho. É necessário entender a jornada de compras do cliente e o fluxo do relacionamento. Para isso servem as estratégias Omnichannel. A essência é criar proximidade e conexão para que os pedidos sejam feitos. Construir estratégias omnichannel é uma arte que exige muito planejamento digital.  

O Omnichannel marketing pensa justamente em como criar a comunicação para gerar resultados de vendas efetivas. Esta é uma necessidade real das empresas, independente do porte, principalmente em função do aumento da concorrência, a métrica das métricas é resultado de vendas.

Do ponto de vista do cliente, o que ele quer é comunidade e segurança. Quer agilidade e segurança. Já a loja, produto ou serviço, deve aparecer no momento mágico da compra e oferecer as melhores condições. 

Por esses motivos o estudo do comportamento dos consumidores é tão relevante para as estratégias de Omnichannel. O cliente usa Whatsapp? Está no Facebook? Navega no Instagram? O segredo é descobrir isso e mais, criar estratégias de relacionamento.

Pois bem, esse entendimento é o primeiro passo. Será que é interessante criar um funil de vendas? Opa, essa pergunta abre outro campo de análise e uso de ferramentas. O tema é bem amplo e repleto de termos e conceitos técnicos. 

Mas para o cliente final a ideia é resultado. Um dos erros mais comuns do marketing digital é falar uma linguagem que o cliente não entenda. Claro que existe a demanda de criar a cultura digital, mas para quem está investindo, os resultados devem aparecer rapidamente.

Vamos aprofundar o tema omnichennel marketing de forma gradativa, deixando claro que a utilização dos múltiplos canais de relacionamento e contato só faz sentido se houver um destino certo: resultado de venda ou fechamento de contrato.

Não adianta curtidas no Facebook, milhões de seguidores ou muita relevância se o modelo de negócios não estiver alinhado, claro e os resultados do investimento não sejam atingidos.

Mas também é necessário ter em mente que a construção da audiência se dá com o tempo e exige investimento. Dosar esses elementos para definir o investimento no Omnichannel Marketing é necessário. 

Nos próximos posts vamos aprofundar nas ferramentas e estratégias. Por enquanto é bom saber que Omni vem do latim e significa tudo e todos. Já a palavra channel, vem do inglês e significa canal. Eis aí a origem etimológica do tal do “omnichanel”, que no mundo do marketing digital é algo essencial, básico, independentemente do porte da empresa.

Principalmente para as estratégias de desenvolvimento de marca e de mercado, a visão omnichannel é indispensável. Mas esse assunto é de maior interesse das grandes empresas.